Buscar
  • de_somayama

Banir um alimento proibido ajuda a emagrecer?

Atualizado: 29 de Set de 2020

Eleger vilões é um dos principais mitos relacionados à alimentação saudável


Ao excluir algum alimento que julgamos ser o vilão do seu emagrecimento, acabamos criando um desejo (às vezes, incontrolável) de ingeri-lo. Afinal, esses alimentos acabam ganhando status de prêmio de consolação quando sentimos uma alteração emocional.


Acontece que pensar em alimentos proibidos e permitidos gera culpa e sensação de fracasso quando cedemos à tentação. Se você taxa um alimento de proibido e cede à tentação, a ingestão prazerosa inicial será imediatamente substituída por culpa. Esse sentimento exigirá outro pedaço para amenizar o sofrimento. O segundo pedaço trará de volta o peso na consciência. Este ciclo se repetirá até que o maior prazer possível nessa situação aconteça: o fim do alimento. Pode parecer engraçado, mas a verdade é que temos imensa satisfação ao realizar uma tarefa assim. É como se ticássemos a alternativa “acabou a tentação”.


Por outro lado, a permissão do alimento figura como uma escolha. E quando isso acontece, o sabor de cada mordida é ritualizado e sentido, representando o prazer da opção – sem a necessidade de ver o fim do prato como prêmio. Na ausência da culpa, nos permitimos comer devagar e curtir cada pedaço. Por isso, muitas vezes até nos satisfazemos com uma quantidade menor.


Ou seja, para escaparmos desse comportamento, o primeiro passo é mudar o adjetivo ligado a esse alimento. Outra estratégia é se perguntar: “Eu quero isso?”. A partir daí, defina os alimentos como desejados ou não desejados. E, ao se permitir consumir algo, foque no fato de que você está no controle da situação: trata-se de sua opção e responsabilidade.

Leia mais em: https://saude.abril.com.br/blog/o-fim-das-dietas/primeiro-passo-para-emagrecer-saber-que-nao-existe-alimento-proibido/

2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo